Notícias

SED participa de debate sobre paralisação da Ferrovia Centro Atlântica

25 jan , 2018

Com o objetivo de buscar solução para o retorno do funcionamento da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), operada pela empresa VLI, que suspendeu o serviço de transporte de contêineres no trecho que liga Anápolis à Sumaré (SP), desde novembro passado, na última segunda-feira, dia 22, foi realizada uma mesa-redonda com a participação do secretário Estadual de Desenvolvimento, Francisco Pontes, representando o governador Marconi Perillo, da senadora Lúcia Vânia, do prefeito de Anápolis, Roberto Naves, do representante da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), Ademir Batista Castorino, e do diretor de Operações do Porto Seco Centro-Oeste, Everaldo Fiatkoski.

Na ocasião, o secretário de Desenvolvimento, Francisco Pontes, ressaltou a importância da retomada do transporte de contêineres para o desenvolvimento econômico do Estado. Segundo Pontes, o Estado tem dialogado com os empresários e está sensibilizado pelas dificuldades impostas a partir da interrupção das operações da FCA.

“São mais de 700 contêineres por mês que deixam de ser transportados via ferrovia todos os meses. A todo momento recebemos empresários e vamos em busca de empresas que possam se instalar em Goiás, e um dos nossos principais argumentos de atração é a logística. Não queremos confronto com a VLI, mas não podemos ser omissos em uma ação que prejudica o desenvolvimento econômico de nosso Estado”, frisou Pontes.

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, avaliou como irresponsável a decisão unilateral da VLI em paralisar o transporte de contêineres. “Quando você assume a responsabilidade em participar de um processo de concorrência e licitação, quando você adquire direito através de uma concessão de prestar um serviço, você tem que arcar com o ônus e com o bônus. Esta concessão que foi dada a VLI previa este tipo de transporte e a sua suspensão prejudica não só Anápolis, mas todo o Estado de Goiás”, disse Naves.

A senadora Lúcia Vânia foi efusiva ao cobrar da ANTT uma posição para o caso da VLI. “A indignação do prefeito Roberto Naves reflete o sentimento de toda uma população. Não podemos mais aceitar que a ANTT se silencie com questões tão importantes para o Estado de Goiás. Não podemos entender o transporte ferroviário ser interrompido sem haver nenhuma manifestação da ANTT. Queremos que a ANTT faça cumprir o que está definido no contrato de concessão” exigiu a Senadora.

O representante da ANTT, Ademir Batista Castorino, explicou que a agência já instaurou um Processo Administrativo visando esclarecer o fato, segundo ele a a FCA já foi demandada a prestar esclarecimentos. “Reitero o compromisso da ANTT em ouvir e buscar esclarecimentos. Temos que seguir um rito processual, pedimos desculpas pela demora, mas temos mecanismos regulatórios a serem seguidos”, disse Castorino.

O primeiro vice-presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Wilson de Oliveira, também questionou os valores do transporte ferroviário. “A indústria precisa de competitividade, que significa preço e qualidade. Hoje temos um modal ferroviário sem funcionar e quando funciona custa mais que o rodoviário”, ressaltou.

Ao final do encontro o prefeito de Anápolis solicitou à senadora Lúcia Vânia que reúna a bancada goiana do Senado e Câmara dos Deputados, para levarem o assunto ao Presidente da República.

 

Fonte – Goiás Agora

Voltar

Publicidade